sábado, 10 de dezembro de 2011

Exibindo "Bella" para adolescentes em situação de risco social

“Olha, Tarcísio, São meninos com experiências de enrijecimento emocional pela vida rude que levam, muitos com pais ausentes, bêbados, violentos ou até violadores (pedófilos) (lembro de pelo menos três casos de abusadores sexuais entre pais ou padrastos). Minha esposa, que é a diretora da obra que os acolhe no horário alternativo ao das aulas escolares até comentou que talvez o filme tivesse um andamento meio lento para prender-lhes a atenção. No entanto, ficaram atentos (fora alguns rumores entre os mais buliçosos), APLAUDIRAM FRENETICAMENTE O ABRAÇO DOS IRMÃOS (eu fiquei surpreso, pq. é uma cena de apelo emotivo para quem está muito atento), prestaram atenção na frase do cego que até servirá de mote para o nosso próximo encontro: "O Senhor me tirou a luz para que eu pudesse ver melhor" e se emocionaram, uma das meninas chorou abertamente e outros contiveram o choro, mas marejaram os olhos quando a criança encontrou a mãe. Havia uma delas que está grávida com 15 anos e passa mal (com enjôos) quase todos os dias. E quem me pediu para ver o filme de novo com sua família é uma menina muito discreta e cuja auto-estima vem melhorando muito por sentir-se acolhida naquele lugar. Deus te guarde!”
(Antônio – São Paulo/SP)

Nenhum comentário:

Postar um comentário